GANHE 5% DE DESCONTO

CATÁLOGO DE PREÇOS ATACADO

Destino gaúcho

No meio do peito um leguero bate,
Em uma cadência prá lá de aporreada,
E lá do galpão um cusco já late,
O gaudério, solito, reponta a boiada,

O gado tá gordo, é hora do abate,
A carreta já veio e tá encostada
O caminhoneiro nem fica pro mate,
Já sai de vereda, pega o rumo da estrada...

E já se foi o frete de boi
E já se foi o frete de boi...

O campeiro atiça o fogo de chão,
O serviço do dia já foi terminado,
Água na cambona pra um chimarrão
Enquanto descansa o crioulo tostado,

É lida, é vida, é gaúcho, é peão,
De espora, bombacha e chapéu tapeado,
Quem traz a pampa em seu coração,
Assim como o boi tem o destino traçado...

E nunca mais olha prá trás
E nunca mais olha prá trás...


AutorAndré Sesti Diefenbach

Comentários

  1. Olá, pesquisando no google vi uma poesia minha em seu blog. Obrigado, e aqui está o link do vídeo da poesia, caso queira divulgar. Obrigado e um abraço. André Diefenbach
    http://www.youtube.com/watch?v=0mSNHw7hdTI

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas

Total de visualizações de página